Sobre Isa Lisboa

Se acreditasse poder definir-me numa só palavra, diria que a Isa Lisboa é uma escritora. Como são precisas muitas, direi que sou tudo o que vejo.

Promoção natalícia!

Livro Invernos, Sonhos e Andorinhas

Um dos livros que o Pessoa acompanha na minha estante é o meu livro de contos, Invernos, Sonhos e Andorinhas.

É um livro inspirado em situações e pessoas que comigo se cruzaram. O que observo foi transformado em histórias curtas, com personagens curiosos, mas que talvez reconheçam.

Aqui podes encontrar detalhes e opiniões sobre o livro.

E como é Natal, porque não oferecer um livro de presente?

E eu também tenho uma oferta para vocês:

Para encomendas até 31/12/2020, poderás adquirir o livro por apenas 10€, e ainda ofereço os portes de CTT, em Portugal!

Frase da semana – Escolhas

Foto: pixabay.com

“As escolhas verdadeiramente difíceis não se centram no certo versus o errado. Envolvem o certo versus o certo. São dilemas genuínos, precisamente porque cada lado está firmemente enraizado num dos nossos valores básicos e intrínsecos: A verdade versus lealdade, o indivíduo versus a comunidade. o curto prazo versus o longo, a justiça versus a misericórdia.”


 – Rushworth M. Kidder, How Good People MakeTough Choices: Resolving The Dilemmas of Ethical Living

Humores universais e como nos unem

Imagem: pixabay.com

Falei recentemente sobre uma piada que encontrei no Linkedyn, ligada ao teletrabalho. Já vi essa piada multiplicada, mostrando várias expressões usadas por quem teletrabalha e usa sistemas de vídeo – conferência para comunicar com os colegas.

Desta vez, fiquei a pensar no quanto somos parecidos. As frases estavam em inglês, mas eu e os meus colegas portugueses dissemo-las muitas vezes.

Numa mesma situação, as dificuldades e as reacções à mesma, parecem ser iguais, ou, pelo menos, muito parecidas.

Também durante a quarentena, muitos vídeos de humor a retratar a situação, mostram reações semelhantes em várias partes do mundo, pelo menos para aquelas pessoas que vivem em condições semelhantes.

Porque as circunstâncias da vida também condicionam estas reacções. Mas isso seria tema para uma grande reflexão, por si só.

Hoje apeteceu-me escrever sobre estes pedaços de humor universal que encontrei. Porque não é o humor que é universal, são as nossas emoções.

E, a esse nível, talvez estejamos todos no mesmo barco. Mesmo que a intensidade das emoções possa ser diferente, quer saibamos lidar melhor ou pior com elas, equilibrá-las mais ou menos, este período trouxe ao de cima muitas emoções. Talvez algumas desconhecidas para muitas pessoas.

No final das contas, ninguém estava realmente preparado para lidar com esta situação e tivemos que nos adaptar muito rapidamente a uma situação nova.

Por isso, se o ecrã congela, se a ligação de internet falha ou se tens que repetir tudo o que disseste, porque te esqueceste de ligar o microfone… se calhar não faz mal. Até porque se podem fazer boas piadas sobre isso.

© Isa Lisboa

Onde está este Pessoa

Sou fã de Fernando Pessoa e tenho aqui em casa esta versão desse grande poeta.

Ele está na minha estante, a acompanhar alguns dos livros que já partilhei convosco.

Querem conhecer alguns desses livros? Vão passando por cá, e podem ir conhecendo a minha estante 😉

Este Fernando Pessoa foi executado pela @kukla.pt. Passem pela página e vejam os fantásticos trabalhos que têm lá!

Isa Lisboa

Mute

“You’re on mute”

Quote of the year 2020

Encontrei há dias esta piada no Linkedyn. Eu que trabalho na área de serviços e que, por isso, passei uma boa parte do ano em teletrabalho e a contactar com os colegas via vídeo – chamada, posso identificar-me. Disse esta frase várias vezes e eu própria já fui avisada de que estava a falar comigo própria, visto ter o microfone desligado.

Para lá da piada, pus-me a pensar quantas vezes não estaremos no mute, sem saber. E não falo de vídeo chamadas.

Quantas vezes não falamos sem sermos ouvidos e não nos apercebemos?

Reformulo: quantas vezes não falamos sem sermos escutados e não nos apercebemos?

Quantas vezes, imersos na nossa vontade de partilhar o nosso ponto de vista, não estaremos apenas a falar? A ser ouvidos, mas não escutados? Falamos, sem nos apercebermos de que perdemos a atenção de quem nos ouve?

Quantas vezes falamos sozinhos, sem que ninguém nos avise de que estamos no mute?

 

© Isa Lisboa

Imagem: pixabay.com

Walks

Foto by Isa Lisboa

Nestes dias atípicos, fazer uma caminhada tem sido uma excelente forma de desentorpecer as permas e de manter a mente calma. Porque uma caminhada também pode funcionar como um exercício de meditação.

Também tem sido uma descoberta de pormenores e cores muitos bonitas, como este, e outros que tenho partilhado no meu Instagram (isa_lisboa_escritora).

E vocês, têm o hábito de fazer uma caminhada?

Isa

On the edge

Imagem: pixabay.com

This is me again

On the edge of myself

As if a stranger

Asking for shelter.

The trip is long

It always is

But departure calls

Whenever

A road reaches an end

Even though there is

No sign

Past and future

Merge

But they are alike

And one must go

Without the other.

Moving along

This is me again

On the edge of myself.

© Isa Lisboa

Sempre escrevi em cadernos…

Sempre escrevi em cadernos… Gosto de abrir o caderno numa nova folha em branco, do toque das folhas nos dedos e do deslizar da caneta pelo papel.

Releio os cadernos antigos, e ao ver o enrrolar mais ou menos agitado da caligrafia, recordo ainda mais intensamente as emoções que me levaram a escrever aquele texto. Releio, como se folheasse um álbum de memórias.

Gosto de ter esses velhos amigos, guardados, à espera de quando preciso falar com eles de novo .

Sempre escrevi em cadernos. Mas hoje, agora, não escrevi…! 😉