E ao que parece… já lá vão 3 anos!

Pois é, o tempo passa e, ao que parece, já lã vão três anos!

Faz hoje 3 anos que o meu livro Invernos, Sonhos e Andorinhas foi lançado. Este é um aniversário especial, porque marca o dia em que dei a conhecer este meu muito especial projecto. Mas a “idade”deste livro começa antes. Começa ainda antes de eu ter terminado de o escrever. Antes de ter começado a escrevê-lo. Começa quando comecei a sonhá-lo.

IMG_3436.JPG

Mas hoje é o aniversário do lançamento do livro, e por isso gostaria de agradecer a todas as pessoas que me apoiaram e incentivaram a escrevê-lo e a todas as pessoas que estiveram presentes na Biblioteca Municipal de Sintra (fotos aqui). Também a todos os que leram o livro e aos que me deram a sua opinião sobre ele, que partilharam comigo qual o seu conto favorito e quais as mensagens que o Invernos, Sonhos e Andorinhas vos transmitiu. Agradeço a todas as pessoas que me têm ajudado a divulgar o livro e que acreditaram e acreditam em mim e na minha escrita.

Obrigada por fazerem parte deste sonho!

IMG_3767.JPG

Isa

Anúncios

Como descrevo Invernos, Sonhos e Andorinhas

IMG_3625

No último evento de promoção do livro, uma das pessoas com quem falei perguntou-me como descrevo o meu livro – Invernos, Sonhos e Andorinhas.

Expliquei primeiro a forma, trata-se de um livro de contos; 16 contos. São contos imaginados por mim e que têm algo de real em cada um deles, de situações que vivi, e de pessoas que conheci. Mas também algo de menos real, que saiu da minha imaginação. Todos os contos procuram transmitir uma mensagem, um pouco ao estilo de “moral da história”. E é um livro sobre sonhos, quer sejam sonhos realizados (Andorinhas), quer sejam sonhos esquecidos ou desperdiçados (Invernos).

Ao rever mentalmente esta conversa, apercebo-me de que usei poucas palavras para descrever o meu livro. Talvez uma das razões seja a de que para mim não é fácil falar ou escrever sobre o meu próprio trabalho.

Por isso, vou começar por vos convidar a ler as opiniões de quem melhor pode descrever o meu livro: os seus leitores. Na página de facebook do livro, aqui , podem encontrar as opiniões que me chegaram por parte de alguns deles.

E agora, peço que me acompanhem no meu próprio exercício de auto descrição.

Começarei por dizer que cada um dos contos do livro é uma metáfora sobre situações reais com que me deparei ao longo da minha vida, algumas das quais até vividas na primeira pessoa. O meu objectivo ao escrever estes contos não foi apenas o de contar uma história. Também queria fazer perguntas. A mim própria, primeiro que tudo, mas também a cada uma das pessoas que os viesse a ler.

É por essa razão que o Invernos, Sonhos e Andorinhas não é apenas um meio de entretenimento; é também um livro para quem gosta de questionar a vida e a si próprio.

Um dos leitores do meu livro, o também escritor Paulo Costa Gonçalves, teve a amabilidade de comparar o meu livro ao conhecido “Quem mexeu no meu queijo”. Hesito um pouco ao classificar o meu livro como um livro motivacional (será a minha velha resistência a rótulos?). Mas é verdade que procurei passar uma mensagem motivacional. Se no início, alguns leitores se podem sentir surpreendidos pelo final menos positivo das primeiras histórias; depois o livro evolui para histórias com final feliz, aquele que eu acredito que seja possível para todos.

E se o final feliz está ao alcance de todos, porque escrevi eu histórias com final pouco feliz? Porque a vida abre-nos portas, mas temos que ser nós a passar por elas. O final feliz depende das nossas próprias escolhas. E as personagens dos meus contos fizeram escolhas diferentes. Algumas escolheram ficar no seu lugar seguro, ainda que ele pudesse ser feito de mágoas, ou ser feito de dor, mas era um lugar seguro. Outras ousaram questionar: “E se?”

A Menina de Plasticina, personagem do conto homónimo, ousou fazer uma grande pergunta: “Quem sou eu?”. Não se contentou, como muitas vezes fazemos nós, a procurar saber o seu nome, o nº do BI, a morada. Não lhe bastaram os elementos de identificação como cidadã. Ela quis saber quem era para além do que é visível. Quis saber quem era como pessoa.

E vocês, querem saber quem são? Então, desafio-vos a ler o meu livro. Não descobrirão lá todas as respostas, estou certa, mas tenho fé de que encontrarão alguma.  

© Isa Lisboa

Se quiserem adquirir o livro autografado, no próximo dia 04 de Junho, estarei na Feira do Livro de Lisboa, às 17h, no stand da Chiado Editora. Será uma oportunidade de nos conhecermos e de saberem mais sobre o livro!

Quem não tiver oprtunidade de se deslocar à Feira do Livro, pode também fazer a sua encomenda através de encomendas@isalisboa.com.

Template Convites - Feira do Livro 2017_Isa Lisboa